Turismo: entenda quem visitou o Brasil em 2018 (e de onde veio)

0


<img class = "tamanho-completo wp-image-105602" src = "https://media.moneytimes.com.br/uploads/2019/06/rio-de-janeiro-turismo.jpg" alt = "

Cerca de 6,62 milhões de turistas estrangeiros visitaram o Brasil em 2018. O número é quase o mesmo dos últimos três anos, mostrando estagnação no fluxo turístico aqui. Em 2017, esse número era quase o mesmo: 6 59 milhões de visitas

Os dados foram apresentados hoje (11) pelo Ministério do Turismo e pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), com base em pesquisas em 25 pontos (como aeroportos e fronteiras).

A América do Sul é a principal fonte de visitantes estrangeiros, quase 60% (4 milhões). O segundo continente com mais turistas foi a Europa com 20% (1, 46 milhões.) A terceira foi na América do Norte, onde 10,4% (689.000) das pessoas que vieram para cá no ano passado viveram.

Isso continua depois da publicidade

. Em uma declaração geral sobre o país, a Argentina foi a principal fonte (2,5 milhões de chegadas), seguida pelos Estados Unidos (539,5 mil), Chile (387 mil), Paraguai (356 mil), Uruguai (348 mil) e França (238, 3 mil).

O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro António, chamou a atenção para a falta de crescimento do número de visitantes e apontou para a necessidade de ampliar a entrada de estrangeiros no país. “Pelo menos há dez anos, percebemos a estagnação. Nos últimos três anos [o número de turistas estrangeiros]ele parou em 6,5 milhões, dos quais pelo menos 40% são argentinos ”. Ele defendeu que as ações tomadas pelo governo federal facilitariam a chegada de estrangeiros, como a isenção de visto em alguns países, a abertura do setor de aviação ao capital estrangeiro e mudanças na Lei Geral do Turismo.

Assim, os argentinos formam um grande contingente de turistas que visitaram o país, mas outros países da região também eram lugares importantes, como o Chile, o Paraguai e o Uruguai. Segundo o gerente de projeto de Fiver Waverton Monty, a situação econômica do país vizinho fez com que o índice caísse. Mas isso foi compensado pelo crescente interesse de cidadãos de outros países.

Um exemplo seriam aqueles países cujos cidadãos começaram a receber um visto para entrar no Brasil em formato eletrônico, simplificando o processo. Nesses locais, as viagens aumentaram 45% no caso do Canadá, 24,7% na Austrália, 13,3% nos Estados Unidos e 5,5% no Japão. A partir do final de 2017, o visto e neste ano o governo federal decidiu suspender a necessidade desse requisito, que entrará em vigor no dia 17 de junho.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.