5 jeitos de não errar no controle de gastos pessoais

5 jeitos de não errar no controle de gastos pessoais

O controle de gastos pessoais é uma atividade que requer muito planejamento e monitoramento. Afinal, estamos falando de um dos campos mais sensíveis de nossa vida, que precisa de cuidados regulares.

Se você ainda não sabe como fazer um controle de gastos pessoais eficiente, sem errar, nosso artigo de hoje pode ser de enorme ajuda. Separamos 5 maneiras de garantir que o seu planejamento e desempenho sejam os melhores possíveis. Acompanhe!

não errar no controle de gastos pessoais

1 – Tenha uma organização dos gastos mensais

O primeiro passo para ter um controle de gastos pessoais eficiente é planejar com base em um registro físico. Estamos pensando em dinheiro a todo momento, mas na maioria das vezes, ainda não há nada de concreto como pauta para agir.

É para suprir essa demanda que serve uma planilha. Algumas pessoas optam, por exemplo, pelo uso de programas de computador como o Excel. Os mais modernos preferem ter um sistema integrado ao smartphone em um aplicativo.

Realmente, nos últimos anos, a proliferação de aplicativos especializados na gestão financeira denota a vontade de se organizar para controlar os gastos do cotidiano. Não deixe de aproveitar todas essas facilidades.

E o que colocar nos registros? Comece analisando, sem planejamento de limites, os seus gastos mensais. Assim, você pode começar a procurar por padrões. Depois, veremos se esses hábitos são benéficos para suas finanças.

2 – Defina as metas

Uma das maneiras de realizar um excelente controle de gastos pessoais é por meio do estabelecimento de pequenas metas por mês, que você precisará cumprir. Essas metas estão relacionadas tanto com aspectos individuais, como com detalhes referentes a estratégias de poupança.

É interessante rever o seu planejamento e os pontos mais sensíveis para conseguir construir objetivos realmente benéficos. Você pode, por exemplo, planejar gastar 10% a menos do seu salário com idas a restaurantes. Da mesma maneira, existem aqueles que querem guardar 20% do rendimento total para investir.

E como as metas ajudam a ter mais controle? Com a divisão dessa maneira, preferencialmente em porcentagens, fica mais fácil entender para onde o seu dinheiro está indo. Afinal, você vai precisar ver quanto você gasta com refeições, com transporte, com lazer, entre outros.

3 – Planeje as despesas dos meses seguintes

Uma coisa é ter metas, e outra é planejar os gastos dos meses seguintes. As metas são mensais e referentes a uma situação pontual. Já o planejamento de gastos deve ser algo mais geral, abarcando todas as categorias de gastos da sua vida. Esse elemento é indispensável para o controle de gastos pessoais.

Inclusive, o ideal é ter uma boa separação das áreas da vida em que você mais gasta, como a alimentação, o transporte, a educação, o lazer, as cobranças mensais, as despesas com supermercado, entre outros.

Depois de se organizar, faça uma análise e pense no quanto de dinheiro você gostaria de gastar com cada elemento da lista. Você pode, mais uma vez, dividir em porcentagens, fazendo os cálculos até atingir pelo menos 80% do rendimento. O restante seria para poupar.

4 – Cuidado com o crédito

Muitas pessoas se esquecem do crédito no controle de gastos pessoais. Na realidade, esse é um dos detalhes que mais precisam de atenção na hora de se organizar. O cuidado com o crédito pode ser facilmente perdido, levando a um crescimento de parcelar a pagar e, consequentemente, de dívidas.

Não estamos dizendo que você não pode usar o crédito nunca mais, mas é essencial incluir essa despesa no seu planejamento mensal, sempre impondo limites. Para o parcelamento, as mesmas atitudes podem ser tomadas.

Você pode estabelecer, por exemplo, o parcelamento de somente 1 produto a cada seis meses, para não comprometer toda a sua fatura de crédito com esses valores. Dependendo do seu rendimento total, separe uma porcentagem baixa para gastar no cartão. Não se esqueça de que pagar à vista é sempre a melhor opção.

5 – Combata o consumo impulsivo

O consumo impulsivo é um dos elementos de desestabilização do seu controle, que ocorre com a maioria das pessoas. Eu tenho certeza de que você já comprou algo e depois se arrependeu. Por que essas coisas ocorrem?

De maneira geral, as pessoas estão pensando em uma perspectiva momentânea na hora de comprar. Isso significa que ninguém pensa no uso prático do futuro em relação ao objeto. Você pode desejar uma coisa pelo momento, e ver essa vontade desaparecer no futuro.

A regra das 24 horas funciona de forma excelente para combater essa questão. Ao desejar um item, não compre na hora. Retorne à loja após um dia e, se a vontade persistir, você pode comprar. Assim, a certeza de que aquela não é uma vontade momentânea pode ser melhor assegurada.

E aí, qual foi a nossa dica sobre controle de gastos pessoais que você mais gostou? Você tem alguma outra sugestão? Deixe o seu comentário abaixo!

 

Similar Posts
você DEVE conhecer esses Investimentos inteligente!
você DEVE conhecer esses Investimentos inteligente!
Você quer garantir o seu protagonismo no mercado financeiro, escolhendo as melhores aplicações? Se a resposta é positiva, não pode...
O Que É, E Como Funciona o Mercado financeiro ?
O Que É, E Como Funciona o Mercado financeiro ?
O mercado financeiro é uma das vias mais importantes de entrada no mundo dos investimentos. Afinal, você precisa conhecer o...
Você Precisa Conhecer Essas 8 Taxas Antes De Investir
Você Precisa Conhecer Essas 8 Taxas Antes De Investir
Muita gente pensa que investir se resume a apenas pegar uma quantidade de dinheiro, jogar no colo de um gerente...

There are no comments yet, add one below.

Leave a Reply


Name (required)

Email (required)

Website