5 impactos da alta do dólar para as finanças

5 impactos da alta do dólar para as finanças

Quando assistimos ao jornal na televisão ou acompanhamos as notícias nas principais plataformas digitais, é muito comum ouvir falar sobre a alta do dólar que, cá entre nós, está nas alturas. No dia que este post foi escrito, o valor da moeda norte-americana estava R$ 3,90.

Alguns fatores primordiais influenciam a valorização alta da moeda, como acontecimentos políticos nacionais e internacionais, que pressionam o câmbio, causando, assim, a desvalorização do real.

Com isso, investidores, consumidores e principalmente as finanças acabam sofrendo com a alta do dólar.

Se ainda restam dúvidas, separamos 5 impactos da alta do dólar para as finanças. Continue lendo a partir dos próximos tópicos.

1 – Aumento do preço de produtos importados

Com o dólar alto, os produtos importados também sobem de valor aqui no Brasil. E, quando falamos do aumento de produtos vindos de fora, não só nos referimos a eletrodomésticos e eletrônicos, mas também a matérias-primas, como o trigo usado para fazer o pãozinho francês do café da manhã de todo brasileiro.

Com isso, o poder de compra do brasileiro diminui, pois a inflação sobe junto com o aumento de preço de alguns produtos.

É muito comum ver vídeos de brasileiros que moram no exterior, tirando sarro de quem continua vivendo no Brasil. Geralmente, o conteúdo das produções é comparativo de preços entre produtos iguais, como o valor da gasolina lá fora comparado ao daqui. Em todos os sentidos, o Brasil sempre sai perdendo.

2 – Empresas competindo entre si

Para empreendedores que atuam nacionalmente, o impacto da alta do dólar tende a ser positivo, pois as vendas são momentaneamente estimuladas. Já para quem depende de produtos importados, a situação é bem diferente.

Ou seja, quando uma empresa compra um produto de fora, mesmo com o dólar alto, ela acaba repassando o valor para o consumidor final. Dessa forma, as vendas acabam diminuindo bastante.

3 – Viagens internacionais mais caras

Com o aumento do dólar, as chances de viajar e curtir as férias fora do país diminuem bastante. Na verdade, dá para viajar tranquilamente, mas é preciso ter noção e, o mais importante, conscientização.

Quando o dólar está em alta, o preço de coisas simples, como as passagens aéreas, hotéis e uso de cartão de crédito internacional também é elevado. Sendo assim, aquela viagem que seria um momento de paz de relaxamento, acaba saindo uma baita dor de cabeça.

Em contrapartida, as viagens para dentro do país acabam sendo mais atrativas, ajudando a movimentação da economia brasileira. Além disso, o fator da alta do dólar também acaba servindo de incentivo para pessoas de fora vir ao Brasil.

4 – Ganhos com investimentos

Talvez este seja um dos poucos pontos positivos da nossa lista de impactos causados pela alta do dólar. Quando a moeda norte-americana está em alta, pessoas que investem nela saem ganhando.

Além disso, quem também investe em ações de importadoras sente o impacto positivo nesse quesito. No entanto, existe também uma volatilidade do governo estadunidense, tornando um ponto a ser analisado durante o investimento.

Antes de sair por aí aplicando o seu dinheiro, consulte uma assessoria financeira especializada.

5 – Exportação

Da mesma maneira que fica difícil importar com a alta do dólar, facilita a exportação. Ou seja, o Brasil também ganha – mesmo que por pouco, com a alta da moeda estadunidense.

A rentabilidade cresce para empresas que exportam, mas a prática e os ganhos não vêm com tanta facilidade, uma vez que essas empresas precisam ser atuantes do mercado internacional.

O que são as cotações?

O dólar é cotado em três esferas diferentes: turismo, comercial e paralelo. Por isso, quando vamos realizar uma transação com a moeda, para viagens, por exemplo, o valor pode ser ainda maior.

Para importações e exportações do mercado financeiro, usa-se o dólar comercial. O dólar no sentido paralelo é usado entre transações que não são registradas pelo Banco Central, por isso o nome “paralelo”.

Os valores mudam por conta do Governo, que influência a partir do momento que compra a moeda norte-americana para a revenda. O dólar comercial é cotado apenas pelo mercado, o de turismo é um pouco mais caro por conta das taxas, que são pagas pelas agências de viagens. Por fim, o paralelo é o que não tem nenhum tipo de controle, por isso é mais barato.

Por que o dólar sobe?

Existem alguns motivos responsáveis pelo aumento da moeda estadunidense aqui no Brasil, como mudanças das regras econômicas, baixa perspectiva de crescimento do país e pouca entrada de grana.

Especialistas também apontam como um dos principais fatores a alta dos juros dos EUA, pois a economia de lá sofre menos com instabilidade e acaba sendo mais preferível aplicar por lá a aqui. As taxas pagas por lá são melhores, o que atrai bastante os investidores.

O que é a taxa de câmbio?

A taxa de câmbio é a relação de valores entre as economias de dois países, no caso, Estados Unidos da América e Brasil. O objetivo consiste em facilitar as transações financeiras entre os países, uma vez que qualquer problema implicado, seja político ou econômico, interfere diretamente no valor da moeda, resultando na volatilidade da mesma.

O que será da moeda nos próximos meses?

De acordo com economistas, a moeda norte-americana continuará num patamar mais alto durante os próximos meses. Isso porque o atual cenário econômico brasileiro continua conturbado e incerto, bem como o ajuste fiscal das contas públicas do país.

Portanto, o dólar apresentou e continuará apresentando uma maior alta frente ao real. Por conta disso, assim como foi mencionado nos 5 primeiros tópicos deste artigo, viagens e produtos importados ainda continuarão mais caros nos próximos meses.

Quando devo comprar dólar?

Independente do valor da moeda, sempre é bom manter alguns dólares para investimentos futuros. A cotação do dólar sempre está em constante movimento, ou seja, um dia ele está por cima e no outro pode cair. Mas, historicamente falando, a moeda tem a fama de se manter forte, mesmo durante crises.

Portanto, não existe um melhor momento para investir na moeda norte-americana, o certo é investir e aguardar o melhor momento para aplicar. Nunca se sabe quando ele pode aumentar. O importante é investir.

E aí, o que achou das nossas dicas? Comente com a gente.

*Matheus Bertoluci é consultor SEO da empresa Câmbio Store.

 

Similar Posts
Saiba como fazer para investir seu 13º e seu dinheiro render
Saiba como fazer para investir seu 13º e seu dinheiro render
Chega o fim do ano e muita gente já se prepara para receber o tão aguardado 13º salário. Esse dinheiro...
Sabe o que é Análise de investimentos ? Conheça Ferramentas que te auxiliam a ganhar mais!
Sabe o que é Análise de investimentos ? Conheça Ferramentas que te auxiliam a ganhar mais!
Você sabe o que é uma análise de investimentos? Se você é daqueles que desejam ter um determinado investimento, você...
para você que mora fora do Brasil – Veja o que fazer para não ter problema com a Receita
para você que mora fora do Brasil – Veja o que fazer para não ter problema com a Receita
O primeiro artigo sobre Como investir no Brasil morando no exterior, trouxe muita repercussão e recebi diversas dúvidas sobre os...

There are no comments yet, add one below.

Leave a Reply


Name (required)

Email (required)

Website